Um Pacto Ético Para 2004

Luiz Marins             

Uma das coisas que poderemos fazer para ter um ano novo mais feliz é um Pacto Ético para 2004. Esse pacto pode ser muito simples e se todos fizermos, tudo pode mudar para melhor em nosso País. Minha sugestão é a seguinte:

Que cada um de nós pegue uma caneta e um papel e faça uma lista de coisas que faz, normalmente, em sua vida profissional. Lembremo-nos de nosso cotidiano, do dia-a-dia, do que as demais pessoas e a sociedade esperam de nós profissionalmente.

Após a lista feita, vamos escrever o nosso “Pacto Ético para 2004”, prometendo fazer tudo aquilo (da lista) com ética, honestidade, respeito às pessoas, respeito aos clientes, etc. Sugiro mesmo que escrevamos o que, de fato, significará fazer essas coisas com ética. Por exemplo, na minha lista como “professor”, prometerei preparar melhor todas as aulas em respeito aos meus alunos. Prometerei corrigir as provas com critério justo, etc.

Além da lista específica referente à nossa atividade profissional, cada um de nós pode prometer as seguintes coisas simples, pessoais, individuais, porém essenciais a um Pacto Ético:

            Em 2004, prometo:

·        Cumprir o que prometer;

·        Cumprir horários;

·        Pagar meus tributos;

·        Combater toda forma de corrupção ativa e passiva, seja nos governos ou empresas;

·        Não cobrar preços abusivos sobre meus produtos e serviços;

·        Não boicotar programas e projetos da empresa em que trabalho;

·        Terminar as coisas que começar;

·        Dar atenção aos detalhes em tudo o que fizer;

·        Ter “senso de urgência” quando me solicitarem alguma coisa;

·        Ter a coragem de dizer “eu não sei” e “eu não compreendi”;

·        Correr riscos para fazer o melhor pelas pessoas que dependem de mim;

·        Tratar as pessoas com educação, polidez, cortesia;

·        Dizer “Obrigado”, “Por favor”; “Com licença”, “Desculpe-me”

·        Não mentir.

Se cada um de nós fizer esse esforço ético o mundo e o Brasil poderão ser diferentes a partir de 2004.

Coisas simples, éticas, fazem uma grande diferença na “qualidade de vida” de todos nós. Muito de nosso “estresse” se dá pela falta de ética pessoal e profissional das pessoas com quem convivemos todos os dias. É a empresa que não cumpre os prazos; é o funcionário que diz ter feito o que não fez; são as pessoas que nos enganam o tempo todo; são os corruptos ativos e passivos que conhecemos; são os mentirosos com quem somos obrigados a conviver.

Sem um Pacto Ético continuaremos a sofrer as conseqüências da Lei de Gérson, onde todos queremos ganhar e todos perdemos.

Esse Pacto Ético deve ser um movimento silencioso, individual, honesto, sem alarde. Deve ser um compromisso nosso, conosco. Não precisa ter repercussão na imprensa. Ninguém precisa falar dele. Nós e a nossa consciência, no dia-a-dia, nas coisas simples, onde ninguém estará nos vendo é que provaremos que temos um caráter ético a ser resgatado.

E podemos fazer isso em 2004.

Faça o seu Pacto Ético com você mesmo. Faça um 2004 diferente, ético.

Feliz 2004! 

 www.anthropos.com.br