Empregos Guia RH

Tempo: é hora de parar para pensar nele  

Se você é daqueles que acha que parar para pensar no tempo significa perdê-lo, é quase certo que algum lado da sua vida não está indo bem. Todo mundo deve de vez em quando fazer uma pausa para analisar que tempo têm consumido nos vários papéis que desempenha na vida.  Uma semana tem 168 horas e elas devem ser divididas entre os seguintes papéis:

1- profissional - tempo gasto com o trabalho;
2- conjugal - tempo empregado no relacionamento com mulher/marido, namorada (o), noiva (o);
3- familiar - tempo que se gasta com os filhos, pais e outros parentes;
4- social - tempo utilizado para os amigos;
5- educacional - tempo empregado na reciclagem de conhecimentos;
6- recreacional - tempo gasto com lazer;
7- fisiológico - tempo que se utiliza para dormir, fazer refeições, higiene pessoal e para se deslocar.

É interessante que de vez em quando se reflita quanto tempo se tem gastado com cada um desses papéis. O importante é haver um equilíbrio entre eles. Uma pesquisa realizada durante um ano e meio com 3.750 executivos de todo o Brasil apontou que para o papel profissional estão sendo empregadas, em média, 66 horas semanais. O tempo fisiológico ficou com 50 horas; o conjugal, com 4 horas; o familiar, com 24 horas; o social, com 6 horas, o educacional, com 2 horas; o recreacional, com 16 horas.
Chamo atenção a pouca quantidade de horas consumidas por semana na relação conjugal e no processo educacional. Em meus estudos,  concluo que os profissionais, de forma geral, poderiam reduzir em média 10 horas o tempo empregado com as atividades da empresa.
Há um desperdício muito grande e ele se traduz especialmente em reuniões pouco objetivas e mal planejadas, nos contatos via e-mail e na leitura de documentos, além do uso indiscriminado do telefone. O saldo disso é o comprometimento da qualidade das outras atividades.
Em vendas, o problema se repete e, se não for bem controlado, torna-se extremamente prejudicial à atividade. "No contato com o cliente, é fundamental ser muito objetivo, caracterizar bem suas necessidades e oferecer a ele soluções que vão direto ao ponto, sem dar voltas.
Essas regras valem especialmente para abordagens via telefone. O profissional de telemarketing, por exemplo, precisa ter um script bem definido ao lidar com o cliente, a fim de não comprometer seu tempo e do dele próprio.
Asseguro que o planejamento sempre, em qualquer atividade, é imprescindível para o bom aproveitamento do tempo. Pensar sempre antes de agir, não ser impulsivo, não colocar a emoção na frente da razão, ter equilíbrio - esses são os princípios básicos para se lidar com o tempo, especialmente numa atividade como a de vendas, chamando atenção para o fato de o tempo ser o único recurso de que dispomos na vida que não tem volta.

Marco Antonio Lampoglia – Diretor da Active Educação e Desenvolvimento Humano, psicólogo, analista do comportamento humano, consultor e conferencista. Especialista que adota metodologias científicas de Liderança, Coaching e Negociação Personalizada. www.guiarh.com.br/active.htm