Empregos Guia RH

NEGOCIANDO UM BOM EMPREGO

Por Fernando Silveira *

Após anos de estudo e preparação, seja em uma escola técnica, comercial ou em uma universidade, e mesmo após algum MBA eis você chegando cada vez mais perto da grande verdade: - E agora, como negociar um bom emprego? Como devo me preparar? Como agir ante tanta concorrência?

Certamente você desejará, no mínimo, três coisas: 1- um salário razoável; 2- uma função onde aplique seu talento e seus conhecimentos e 3- trabalhar em uma organização vencedora, de futuro.
Nada mais justo! Afinal, você lutou para isto!

Só que assim como você com certeza dezenas, talvez centenas estejam agindo exatamente na mesma direção. Então a parada não vai ser fácil!

Como enfrentar esta realidade?
Não! Não desanime! Existe uma ferramenta que poderá ajudar –e muito – a superar concorrentes e galgar o cume da montanha. Chama-se negociação, que conceitua-se como a busca de um acordo mutuamente satisfatório, onde cada parte obtenha um grau ótimo de satisfação. Satisfação pra você, por conquistar um posto, e à empresa, por obter um colaborador à altura de suas necessidades.

Então, convém você conhecer algumas dicas para negociar o seu emprego :

Negociação requer planejamento –
Verifique seu status frente às exigências do posto. Veja em que aspectos você poderá agregar valor à tarefa pretendida e como você poderá colaborar com o seu talento para ajudar a empresa em sua missão. Também observe as variáveis de posto, salário, local onde irá trabalhar, possibilidade de carreira e desafios a serem vencidos.

Negociação pressupõe objetivos clarificados -
Estabeleça seus objetivos pessoais em função daquilo a ser negociado (no caso uma posição em uma empresa) tendo o cuidado de não se afastar dos parâmetros reais da oferta, procurando sempre valorizar a sua possível participação.

Antes da negociação, verifique seu status -
Não esqueça de proceder a um check-list dos pontos fortes de sua formação, qual o seu talento específico, quais habilidades você possui condizentes com a posição que você pretende. Tenha consciência também de seus possíveis pontos mais fracos. À partir desta checagem, liste as verificações mais representativas para utilizar no jogo da negociação, reforçando os pontos fortes e administrando os demais.
Assim você irá para a entrevista sabendo o que deseja, tendo estabelecido seus máximos e mínimos e também pronto para expor como poderá colaborar com o esforço da empresa.

Negocie com o foco na realidade –
Charles Handy, autor irlandês, já dizia que a era do emprego seguro acabou de vez. O nosso destino profissional está em nossas mãos. Será cada vez mais comum possuirmos três ou quatro carreiras diferentes ao longo da vida. O principal desafio para os trabalhadores está em descobrir quais são os seus principais talentos e aprender a vendê-los – ou seja, negociá-los –(o grifo é meu). O importante agora é procurar clientes em vez de empregos. (A Era do Paradoxo e A Era da Irracionalidade, Makron Books).
Na posição de negociador com seu cliente, possível empregador, muito além daquela de simples candidato, é importante que você tenha em mente, ao ir para a negociação, algumas regras básicas bem lembradas pela revista Você S/A :

NÃO DÊ VEXAME. Saiba o nome e cargo do entrevistador, o local, a data e o horário da entrevista.
VISTA-SE ADEQUADAMENTE PARA A OCASIÃO. Procure conhecer o perfil da empresa antes, e use essa informação na hora de escolher roupa, sapato e acessórios. Por exemplo, se você for fazer uma entrevista para uma empresa de consultoria, é mais indicado que use o terno completo. Já se for para uma empresa de Internet, pode dispensar a gravata. De qualquer forma, os fundamentos são eternos. Evite perfumes fortes. Confirme se a roupa está limpa. Para as mulheres: evitem saias curtas demais, decotes cavados e tecidos transparentes. Nada de maquiagem pesada. Para os homens, nada de paletó amarrotado, pastas ou sapatos surrados. Verifique se as unhas estão aparadas e limpas. A barba deve estar feita.
ADMINISTRE BEM SEU TEMPO. Tente chegar 10 minutos antes da hora marcada. (Eu estenderia para 30 minutos!)
LEVE CÓPIAS DO CURRÍCULO, anotações feitas durante a preparação sobre suas competências e objetivos, papel e caneta. (Ed. abril/2001).

É oportuno lembrar que, tratando-se de negociação, onde a dimensão tempo é crítica, seu CV deverá ser o mais direto e objetivo possível, enfocando experiências das mais recentes para as mais anteriores.

Negociar é trocar concessões -
Ao negociar, tenha em mente que será necessário oferecer algumas concessões em troca de certos posicionamentos da empresa, tais como plano de carreira, promoções, benefícios adicionais e outras inerentes à situação.
Voltando a Charles Handy, vale considerar sua citação um tanto óbvia, porém sempre atual, de que o dinheiro não é tudo na vida, pois todos nós temos a responsabilidade de criar uma sociedade melhor e não apenas maior ou mais rica.

Você estando preparado para negociar e ciente de suas competências serem adequadas à posição pretendida junto a seu cliente-empregador certamente não sofrerá daquele mal tão comum aos demais: a ansiedade desmedida, comprometedora até.

Fique tranqüilo: assuma uma atitude negociadora, planeje, considere todos os dados e variáveis, hierarquize estas informações, estabeleça suas margens de negociação e siga em frente, rumo ao sucesso, com a negociação!


Fernando Silveira é administrador, consultor autônomo e
professor de Negociação Empresarial na FGV(MBA), UFRJ-MBA, UGF-MBA,SENAC, SEBRAE, CNI, TREIDE e em várias empresas públicas e privadas(Petrobrás, Vale, Furnas,Varilux, Albrás,etc) . Ele pode ser contactado pelo endereço eletrônico:
fsilveira10@msn.com
  Site: www.geocities.com/fernandosilveira10/fernandosilveira10.html