Cidadania e Proposta Pedagógica

A proposta pedagógica deveria ser o principal objeto de venda de uma escola, afinal dentro dele encontra-se o método de ensino e o caminho de aprendizado que o aluno irá percorrer durante seus estudos nessa instituição. O ponto principal de partida é entender qual o tipo de alunos que queremos formar, que estamos preparando para o futuro.

Muito se fala da sociedade entrar na escola quer seja pela atuação de pais organizados por uma associação, ou empresas que resolvem colaborar com a comunidade, investindo na instituição. O que venho trazer é que, o momento da proposta pedagógica, é o momento talvez que a escola devesse alterar este papel, o momento em que ela deve ir atrás da sociedade.

Passa a ser um dever da escola entender o contexto e o ambiente em que ela está inserida, alimentando-se das necessidades sociais e do mercado para atender aos estudantes.

A sociedade espera por valores sociais, por desempenho e por capacidades que são alimentadas no indivíduo no período escolar, não apenas pelas matérias básicas apresentadas, mas através do convívio social, pela compreensão do meio em que vivemos, por sua inserção na sociedade.

Um benchmarking entre a instituição de ensino e departamentos de recursos humanos, pode ser um ponto de partida para os anseios de uma região. Afinal as empresas efetivaram todo um trabalho de competências e perfis necessários para suas corporações, além de ter em suas mãos quais as principais defasagens de seus anseios com a qualidade de recursos que encontramos no mercado.

Um estudo claro dos acontecimentos do ano vivido e o desenho de um cenário para o que vem, não apenas econômico, mas principalmente social, pode trazer a escola qual é sua linha de futuro, qual o caminho a ser percorrido e onde se quer chegar, dentro principalmente das perspectivas levantadas.

E claro, não podemos nos esquecer de ouvir os pais e quais suas grandes dificuldades educacionais encontradas nos dias de hoje, ouvi-los é entender claramente o público que estamos servindo.

Pronto, com essas ferramentas, é possível redesenhar o perfil pedagógico da instituição de ensino, para adequá-lo as realidades sociais, e preparar o aluno mais claramente para entender seu papel de cidadão.

Nada disso é possível, no entanto, sem reeducarmos nossos professores para enxergar claramente seu papel de facilitador e o direcionamento da política educacional escolar voltado ao aprendizado e não ao ensino.

Ao colocar o aluno no papel fundamental da sala de aula, a partir de uma estrutura pedagógica que entende os valores e as necessidades da sociedade, estamos desenvolvendo respeito e qualificação, preparando melhor os jovens, melhorando sua qualidade de ensino e sua postura social, ou seja, estamos desenvolvendo cidadania.

Cristiano Garcia
Sócio-consultor cristiano@apoenarh.com.br
Tel. (11) 5071 0738 www.apoenarh.com.br