Os Sugadores de Energia

Luiz Marins

  

            Acabo de lançar meu novo livro que tem como título “Livre-se dos Corvos – Cuidado com os Sugadores de Energia”.

            “Corvos” são aquelas pessoas que vivem ao nosso lado dizendo que as coisas estão ruins, só vão piorar e que não vão dar certo, não vão acontecer. São aqueles para quem todo mundo é desonesto e mal intencionado. São aqueles que só falam mal dos outros. São os que não conseguem conter a sua inveja e destilam maldades sobre os colegas de trabalho, amigos e parentes o tempo todo. Corvos são aqueles que não participam de nada na empresa e ainda chamam os que participam de “puxa-sacos”. Corvos são os que fazem ironia e gozação de tudo o que acontece de inovador e que não tenha sido idéia deles próprios. Os que fazem piadinhas de mau gosto sobre os colegas mais humildes. Corvos são os que humilham seus colegas ou subordinados. São os chefes que só sabem criticar e nunca elogiam. São os que se acham “os bons” e para quem todo mundo é ignorante. Corvos são os que não admitem opiniões diferentes das suas.

            Corvo, enfim, você sabe quem é. É essa pessoa que está na sua cabeça agora! Livre-se dele ou dela!

            Além de “corvos” são verdadeiros “vampiros” que vivem “sugando a energia alheia”. Esses quirópteros hematófagos vão minando nossa energia sem que muitas vezes tomemos consciência do mal que nos causam.

            Vejo pessoas, profissionais liberais, empresários e mesmo empresas que vivem impregnados de “corvos”. São pessoas do “não” que vivem para negar qualquer possibilidade de que as coisas dêem certo. Vivem desconfiando dos fornecedores, dos clientes, dos terceirizados, dos parceiros em geral.  Irritam a todos com sua “corvice” e negatividade, com seu olhar de “farol baixo”, seu ombro caído numa postura de corpo reveladora de sua condição de “corvo”.

Não dá para trabalhar hoje ou mesmo viver hoje com alguém puxando você para trás ou para baixo o tempo todo. Esses “sugadores de energia” tiram de nós a vontade de empreender, de trabalhar, de atender clientes, de inovar, de crescer. Quando menos esperamos estamos “intoxicados” pela negatividade e maldade desses “corvos” que vivem da carniça alheia e não enxergam sua própria condição de um ser inferior que quer culpar o mundo pelos próprios fracassos visíveis ou ocultos. Todo “corvo” é, na verdade, um infeliz espalhando sua infelicidade.

Se você puder, leia meu novo livro. Mas mesmo que não possa, não deixe de pensar numa maneira de viver e trabalhar com pessoas sadias, positivas, “pra cima”. Pessoas que vendo a parte difícil ou negativa da vida (que é claro existe) sejam também capazes de enxergar o lado positivo, o mundo além das desgraças e que nos ajudem com seu entusiasmo a vencer os desafios destes tempos loucos em que vivemos.

Livre-se dos “corvos” da sua vida. Cuidado com os “sugadores de energia”!

Pense nisso. Sucesso!