Empregos Guia RH

SEU CORPO É UM DIFERENCIAL COMPETITIVO?

Eunice Mendes

Consultora do INSTITUTO MVC

Você já pensou no seu corpo como um grande diferencial competitivo nas apresentações em público?
Ele poderá ser ou não, dependendo de como você encara a sua missão de se apresentar perante uma platéia.
Longe das ferramentas high-tech, independentemente das estratégias comerciais mais bem elaboradas, a linguagem corporal é algo que pode e deve ser otimizado nas relações interpessoais mediante treino constante das habilidades verbais e não-verbais.
Podemos potencializar a capacidade de expressão física e a forma como nos apresentamos. Esse diferencial depende, única e exclusivamente, da nossa compreensão quanto à importância de cada gesto que permeia a interação humana.
O corpo é um mapa fidedigno de nossa história pessoal.
Nele está inscrito tudo aquilo que vivemos, todas as emoções...
Não reconhecer o que os movimentos corporais revelam é não reconhecer a memória do nosso passado e a cara do nosso presente.
O corpo é um espelho altamente revelador do inconsciente. Ele mostra flashes da personalidade, expõe crenças, valores, preconceitos, forças e fragilidades do caráter. Não nos deixa mentir e escancara os segredos mais íntimos... Não adianta, mesmo que não queiramos, nosso corpo fala e, às vezes, grita! Ele trai o que a palavra insiste muitas vezes em esconder, ele tira os véus e desnuda quem realmente somos...!
As mensagens que emitimos por meio do nosso corpo constroem aquilo que temos de mais verdadeiro e substancial. A linguagem corporal, quando bem utilizada, ajuda a dizer o indizível, a dar forma a um sentimento e a concretizar as imagens das emoções mais verdadeiras.
Como apresentadores, exercitando o nosso ofício de transmitir idéias com naturalidade, envolvemos, além da palavra, o jogo fisionômico, a postura cênica, a flexibilidade dos músculos, o domínio das expressões faciais, dos movimentos de braços, pernas e quadris.
A platéia lê pela nossa linguagem corporal o nosso humor, nosso medo, nossa atitude defensiva ou receptiva. Sabe-se que 55% de nossas comunicações são viabilizadas pela expressão do nosso corpo. A fala do corpo pinta a forma das palavras.
Os sinais involuntários do corpo, assim como os sinais externos (constituição física, forma de andar, jeito de se vestir, penteado) são pistas que revelam ao público quem você é, como pensa e vê o mundo.
Daí a importância da lapidação verbal e não-verbal para que o sentimento, a ação, a palavra e os movimentos corporais atendam à necessidade primordial da inteireza e congruência da mensagem, num todo afinado e integrador, resultando numa comunicação sem barreiras.
Sempre que você se apresentar em público, mesmo em ocasiões informais, os gestos devem ser claros e expressivos, porque isso ajudará a reforçar, a complementar e a compreender melhor as idéias. Mas, fique atento, pois o excesso deles não substituirá a falta de conhecimento sobre o assunto e comprometerá a apresentação.
Quando se trabalha bem a postura corporal e sabe-se em que momento gesticular ou quando usar a expressão facial da forma mais natural, pode-se então proporcionar imagens marcantes e exatas sobre as informações que se comunica. Dessa forma, a tradução das idéias fica mais fácil, deixando a apresentação mais rica e multidimensional. O segredo para isso são os gestos ordenados, rítmicos, seguros e harmoniosos.
Vejamos algumas técnicas facilitadoras:

Não basta que o corpo se expresse: é preciso que ele se comunique! Para isso é necessário fazer uma análise objetiva da força e da coerência da nossa comunicação não-verbal. O corpo é um instrumento que, se bem afinado, promove maior harmonia e maior consistência da mensagem.
Se quisermos conquistar a autenticidade da linguagem corporal, é preciso que haja uma intenção bem formulada e adequada da mensagem. Se isso não estiver bem definido, a gestualidade resultará em movimentos vazios, em falta de credibilidade, causando perturbação nos espectadores. O ideal é que a comunicação não-verbal ilumine a apresentação e não se torne uma sombra que diminua o poder e a dimensão positiva das idéias veiculadas.
É necessário trabalhar pelo gesto vital! Os movimentos podem propiciar beleza, plasticidade, consistência e força simbólica à mensagem: gesto e palavra devem estar ajustados à excelência do processo comunicativo.
Enfim, observe se a sua postura está casando com a sua personalidade, treine e aprimore-se, seja mais autêntico em suas comunicações formais e informais, encante os seus ouvintes e... Sucesso!

OBS.: Material retirado dos Programas de Comunicação com Foco em Resultados e Técnicas de Apresentação em Vendas. www.institutomvc.com.br