De: Presidente

Para: RH

Marco Aurélio Ferreira Vianna

Presidente do Instituto MVC

"Venho pela presente informar algumas modificações que estão acontecendo na minha cabeça e no meu modo de pensar. Quero, também, compartilhar com vocês algumas preocupações e inquietudes que no momento atual estão povoando minha tão ocupada mente. Além disso, aproveito para emitir algumas opiniões que julgo importantes sobre o ambiente humano de nossa organização.

Antes e acima de tudo, gostaria de afirmar que a partir de agora eu sou seu aliado. Não deixarei mais os assuntos de sua área para os últimos cinco minutos de uma reunião de sexta-feira, já atrasada em três horas com o relógio marcando nove da noite. E tem mais! Não tomei esta decisão porque virei santo ou andei lendo Madre Teresa de Calcutá. Também não estou com a consciência doendo por algum pecado que cometi. Tomei esta decisão porque efetivamente passei a acreditar que o clima de uma organização é um poderoso e eficaz instrumento de construção de resultados financeiros e estratégicos positivos e crescentes para nossa empresa. Por isto mesmo, nossos recursos humanos deixam de ser recursos e são elevados à categoria de parceiros, de talentos. Enfim, de Seres Humanos.

A partir de agora, estarei diretamente comprometido com a criação de um ambiente humano no qual cada pessoa de per si tenha um conjunto de facilitadores para melhorar sua motivação pessoal. Eu quero que esta empresa seja irresistível para os nossos homens e mulheres e que todos sejam literalmente apaixonados por aquilo que fazem. Acordar de manhã para trabalhar aqui deve ser uma fonte inesgotável de prazer, o qual, claro, vai se transformar naturalmente em padrões de competitividade e qualidade. Existirá um grande pacto entre a organização e seus colaboradores.

Apesar de não saber ainda direito como fazer, eu entendo ser necessário que sua área, agora com meu direto envolvimento, consolide e dissemine uma cultura organizacional consistente baseada em um engrandecedor conjunto de crenças e valores. Eu quero dar referências mais nobres às pessoas. Faço aqui uma promessa que você, de agora em diante, poderá me cobrar: vou destinar 5% do meu tempo, meio dia por mês, à supervisão direta desta atividade. Eu gostaria de ver todos os nossos colaboradores, até a mais humilde pessoa, com conhecimento e a aplicação destes conceitos. Por isto mesmo, a manutenção destes propósitos deverá ser por nós estimulada através de prêmios e controlada através de sistemas. 

Especificamente, eu gostaria de criar para os nossos Seres Humanos um ambiente de segurança em que não haja vestígios de corporativismo e muito menos de paternalismo.No entanto, eu quero diminuir a sensação de incerteza e angústia que as pessoas têm neste momento tão turbulento. É evidente que não vamos garantir empregos vitalícios. Seria uma falsidade inominável de nossa parte. Mas como patamar mínimo, eu quero apoiar a construção de Seres Humanos integrais, fortes e maduros que saibam lidar com a ambigüidade e o caos e que, no limite, tenham boas condições de vida se, por acaso, saírem de nossa organização. Por isto, nossa educação corporativa deverá incluir temas como desenvolvimento pessoal, empreendedorismo, planejamento de vida, criatividade, ecologia, experiência de triunfo pessoal, poder nas organizações, falar em público, relacionamento interpessoal, processo decisório, análise de risco e outros tantos que fortaleçam as habilidades duráveis nas pessoas. De forma aberta, eu quero colaboradores preparados para o mundo e não somente para o pátio de nossa empresa.

Finalmente, eu pretendo, em conjunto com sua área, desenvolver um intenso programa de comunicação no qual também estarei diretamente envolvido. Temos que acabar com os muros horizontais e verticais que existem em nossa empresa. Em tempo mais curto possível, irei dedicar uma manhã completa de minha agenda mensal (e você sabe como isso é muito complicado) ao relacionamento com os meus colaboradores. Durante trinta a quarenta e cinco minutos, transmitirei as informações que sejam necessárias, ficando depois à disposição de todos para responder (por e-mail, telefone, fax) qualquer dúvida ou pergunta. Vamos fazer isto uma vez por mês, em uma data pré-determinada. Eu gostaria que nossas equipes assistissem em conjunto a este vídeo para também aumentar o grau de entendimento e integração entre líderes e liderados. Pessoalmente, assistirei esta gravação, feita anteriormente, durante um café da manhã, no qual participarão pelo menos dez colaboradores convidados. A ordem é integrar. Assim, quero que você estude estratégias e sistemas que eliminem qualquer resquício de feudos estanques. Temos que criar uma verdadeira e eficaz inteligência grupal competitiva em nossa empresa.

Por último, estou mandando fazer um novo cartão de visitas, no qual, ao lado da palavra Presidente, aparece minha nova função: Consultor para Assuntos Humanos."

* Este texto foi inspirado em entrevistas com trinta e dois presidentes de organizações no Brasil, que servirão também de base para meu próximo livro.
www.institutomvc.com.br