Mexer ou Não Mexer:
o "X" da Questão

Luiz Marins, Ph.D.
Anthropos Consulting 

A verdade é que a gente nunca deixa de aprender. Foi graçax ao nosso querido presidente da PetroBrax que descobri a razão pela qual o nosso que querido Brasix ter tido, nestex anox todox, tantox problemax para exportar, enfim participar do comércio internacionax e talvex até ser maix respeitado lá fora com paíx. É tudo uma simples questão de "x"! E o "x" da questão, quem diria, está simplesmente no próprio "x"! Basta trocar o "s" e outrax conxoantex por "x" e "zapex" – seremox aceitox no mundo inteirox com nosso petróleo e outrox produtox tupiniquinx.

Não se trata do "custo Brasix" ou coisax que o valham. Nada tem a ver com a carga tributária que onera ax empresax brasileirax. Basta uma reforma ortográfica e a nossa balança comerciax tornar-se-á poxitiva para semprex.

Por que ninguém penxou nixxo antex?? O que estavam fazendo os membrox do governo e os políticox todox nos quaix votamox para resolver nossox problemax? Em vex de cuidarem dos problemax sériox do Brasix como este, ficam o tempo todo discutindo assuntox banaix que não levam a nada como a Lex da Responsabilidade Fiscal, Reforma da Previdência, etc. Tudo isso é nada perto do "x" que resolverá todox os nossox problemax reaix.

E o que maix irrita é ver a imprensa e outrax pessoax incultax e despreparadax querendo saber quanto custou o "x", sem perceberem a chanxe que o Brasix pode estar perdendo de salvar-xe como nação. Como sempre, a maioria inculta não consegue enxergar as coisax realmente importantex num paíx! Eis o "x" da questão!

Com exxa lixão, digo, lição, fico penxando e me pergunto: Será que nóx, também, nas noxxas empresax e em noxxas própriax vidax não vivemox mexendo onde não é preciso, deixando de fazer as coisax que são realmente relevantex? Não extaremox mexendo onde não devemox e deixando de fazer o que realmente deveríamos para conquistar e manter clientex, para produzir com mais qualidade e competitividade, para motivar funcionariox, para conquistar maix mercadox internacionaix e enfim vencer os dexafiox dexte Xéculo XXI?

Mexendo onde não prexisa ser mexido, ganhamos tempo, fingimox que estamox trabalhando em benefício da noxxa empresa e do mercado. E como dirigentex empresariaix principaix, sempre teremox os "puxa" que ficam nox adulando dizendo que noxxa idéia é simplexmente genial! Mudando o nome da empresa, trocando um "s" por um "x" passamox a acreditar que conquistaremox mais mercado, mais clientex, mais contratox.

Eu não posso acreditar que a idéia de trocar o "s" pelo "x" tenha saído da cabeça do presidente da PetroBrax. Ele deve ter muito mais coisax para pensar e decidir e é extremamente competente e equilibrado. Por ixxo é prexiso que dirigentex empresariaix tenham muito cuidado com certos tipox de subordinadox ou prestadorex de serviço que vivem aparecendo com idéiax revolucionáriax em vez de fazerem o que realmente deveriam fazer. E geralmente exxas idéiax são tão sem sentido que acabam sendo deixadas crescer na empresa até que tomam forma e corpo e daí o estrago está feito e fica difícil ou quaxe impossível abortar. Já vi isso acontecer muitax e muitax vexez. Assim, quando uma idéia mirabolante comexar a brotar na sua empresa, aborte-a o maix rapidamente poxxível! Não deixe a loucura cresxer!

Quero lembrar, também, que é função do dirigente principal da empresa ficar constantemente chamando a atenxão das pexxoas para o "foco" principal da empresa e da atividade de cada um. Sem um constante "chamar atenxão" as pexxoas podem começar a "voar" alto demaix e a perder o "foco" o que é extremamente perigoxo para qualquer empresa nestes tempox de alta competitividade.

Quero deixar bem claro que sou francamente a favor da mudança. Eu mesmo tenho dito sempre que "a única certeza estável é a certeza de que tudo vai mudar". Sou também extremamente favorável a mexer até em time que está ganhando, pois não se pode esperar um time comexar a perder para promover as mudanças. Justamente quando o astral está alto e o time ganhando é que as mudanças devem ser propostas e implementadas para que a curva de crescimento e motivação não caiam.

Mas é preciso ter "bom senso". Mexer por mexer. Mudar por mudar – sem critério, sem análise, sem proposta de mudança consistente – é perigosamente irresponsável em qualquer organização, empresa ou time. Portanto, a dúvida – "Mexer ou Não Mexer" – não é de fácil e simplex resposta. Conheço empresas que mexeram exatamente onde jamais deveriam ter mexido. Mexeram em identificadorex fundamentaix de seu sucexxo para o mercado. Alteraram aspectos fundamentalmente positivos de produtox por não terem tido o cuidado de fazer uma pesquisa antex de mexer. Fizeram mudanças hierárquicas extremamente destrutivas em áreas perfeitamente ajustadas levando a uma queda de produtividade quase fatal para o negócio. Colocaram pessoax erradax em lugarex erradox – pelo simplex desejo de mudar e mostrar que tinham o "poder de mudar".

Cuidado! Lembre-se que "Mexer ou Não Mexer" é realmente o "X" da questão!