Seleção com Foco em Competências

Segunda feira, sete horas da manhã, começa a agitação num grande Centro de Diagnósticos. Algumas enfermeiras estão enfrentando seu primeiro dia de trabalho e parece que isso cria alguns problemas para a Supervisora que com muito tato é solicitada para amenizar alguns conflitos.

Uma mãe, com bebê quase recém nascido, acabara de saber que seu filho seria atendido por uma enfermeira recém-formada, muito simpática, entusiasmada com o novo emprego, mas avaliada pela mãe como um profissional sem experiência suficiente para confiar as delicadas veias do seu filho.

Uma senhora saía reclamando da antipatia e mau humor da enfermeira, que embora com muita experiência profissional, não tinha nenhum tato na comunicação com clientes.

Problema de quem? Da SELEÇÃO?!!!

Essa empresa faz Seleção com foco em Competências?. Parece que não.

A metodologia da Seleção com foco em Competências é, sem dúvida, a forma mais eficaz do mercado, para selecionar a pessoa certa para o lugar certo. Ao construir o Perfil de Competências técnicas e comportamentais do cargo a ser trabalhado, em parceria com a área requisitante, o Profissional de Seleção, investiga todos os indicadores de competências para montar um perfil completo e detalhado. Com base neste perfil, o profissional de Seleção vai construir as ferramentas que serão usadas no processo seletivo: A Entrevista Comportamental com foco em Competências, personalizada para cada perfil e criar ou escolher Jogos estratégicos para observação das competências constantes no perfil. Estas ferramentas são a segurança de uma seleção objetiva e com foco bem definido.

É bom lembrar que o trabalho de seleção é um trabalho de parceria e que os resultados dependem da parceria que é estabelecida com a área requisitante. Nem sempre o gestor, requisitante da vaga, tem orientação técnica e clareza sobre o seu papel no processo seletivo. Isso é um levantamento de necessidade de treinamento, que pode ser sanado pela área de Recursos Humanos. Todo gestor é um administrador de Recursos Humanos, pois administra uma parcela dos Recursos Humanos da Organização e para que este papel seja desempenhado com eficácia, é importante que todas as informações sejam disseminadas pela área que tem maior domínio sobre o assunto. Vale lembrar que muitos requisitantes ainda estão presos a valores antigos, onde as competências técnicas definiam o candidato. No mercado competitivo de hoje, as competências técnicas são muito importantes sem dúvida, mas são básicas, todos os candidatos devem ter o perfil técnico, e o diferencial competitivo de cada um será o perfil comportamental.

Artigo do livro Seleção por Competência que será lançado no Congresso Brasileiro de Treinamento e Desenvovimento (CBTD) em Santos nos dias 05 a 07 de dezembro, pela editora Educator.

Maria Odete Rabaglio
Consultora de Recursos Humanos
odeterh@uol.com.br
(11)6748-3007
(11)9713-2861