Psicossomatismo e as fusões empresariais

Observa-se mudanças acentuadas na economia global. Mega-fusões e aquisições inesperadas entre várias empresas estão acontecendo constantemente pegando muitos colaboradores (do mais alto executivo até aquele da área operacional) desprevenidos. E nessa situação, claro, a surpresa normalmente desagradável vem acompanhada de ansiedade geral.
Como a empresa foi criada para obter resultados (lucros) sempre, normalmente ela não está preocupada com questões subjetivas, ou seja, com os sentimentos das pessoas envolvidas.
Se está acontecendo a fusão entre duas empresas, com certeza haverá duplicidade de setores, de alguns cargos, de chefes, por exemplo. A demissão de pessoas é inevitável e, nesse processo, serão aproveitados aqueles mais bem preparados (leia-se: aqueles que darão melhor resultados financeiros em curtíssimo prazo).
Em um clima desse, os colaboradores de ambas as empresas ficam desnorteados não sabem se preocupam com a possível demissão, se planejam buscar uma nova ocupação no mercado, se preocupam em mostrar serviço para não ser demitido, se buscam mais informações sobre o processo pelo qual sua empresa está passando (e muitas vezes as informações não são acessíveis a todos os níveis hierárquicos, o que causa maior ansiedade). Nesse parágrafo já deu para se ter uma clara idéia de como fica o lado emocional desses colaboradores, não é mesmo? E o que é mais grave nessa ansiedade toda, ainda lhe é cobrado resultado e discrição (jamais demonstre o que está sentindo, pois se o fizer, revela que você não está "preparado para enfrentar o mundo globalizado"). Parece filme, mas infelizmente é real.
Sem poder falar ou demonstrar o que está sentindo, tais colaboradores vão ficando cada vez mais "sufocados" apresentando sintomas diversos: dores de cabeça, dores lombares, dores no corpo inteiro, náuseas, diarréias, disfunções sexuais, etc. Todas sem causas biológicas ou fisiológicas mas sim com causa emocional. São as chamadas perturbações psicossomáticas.Sabemos que a Medicina Psicossomática, enquanto um método de investigação científica e prática existe há aproximadamente sessenta anos, mas tem alguns bons profissionais da área da saúde que ainda a ignoram. Ela considera o homem como um ser bio-psico-social, isto é, como sendo inserido em um contexto amplo e muito rico e impossível separar: mente, corpo e relacionamento social. O homem é resultado de tal interação. Se há conflito em algum aspecto, por exemplo no seu relacionamento social (provável risco de demissão na empresa na qual trabalha), poderá afetar seu corpo, sua mente, ou os dois ao mesmo tempo.
Assim, temos que considerar tais sentimentos. O ser humano é e deve ser humano sempre. Sentir e expressar sentimentos de forma inteligente, isto é, usando a inteligência emocional, deve fazer parte do cotidiano de "todo mundo". E toda pessoa merece atenção especial, abertura, etc. para pelo menos falar do que a incomoda, daquilo que a angustia, daquilo que lhe causa ansiedade, independente se o ambiente é de trabalho. Desde que o faça com a pessoa adequada. Acho que nesse caso, é aí mesmo dentro da empresa, que as questões precisam ser esclarecidas ( principalmente entre chefia e colaboradores) para que tais sentimentos desagradáveis sejam amenizados. É difícil dizer que se a comunicação for clara, tais sentimentos não existirão. Possivelmente existirão de forma mais amena, pois eles são normais, visto que cada colaborador tem seus sonhos, suas expectativas, seus planos individuais e a empresa, por sua vez, tem os seus objetivos que diferem daqueles.
Há executivos que afirmam que quando há excesso de pessoal e a empresa esteja passando por modernização em seus processos demitir alguém é real e inevitável.
Mas será que é impossível preparar melhor as pessoas para tal fato? Ou está havendo um despreparo por parte de alguns gestores de pessoas, confundindo essas com as máquinas cada vez mais modernas, necessárias e presentes no diversos setores de suas organizações?

Eva Bessa Soares
Psicóloga, Professora e Consultora da área de R.H.
evabessa@zipmail.com.br