QUALIDADE,QUALIDADE TOTAL.

Conforme o dicionarista Aurélio,QUALIDADE é dote,dom,virtude.

Já no mundo científico da administração de empresas ,QUALIDADE é sinônimo de melhoria contínua,conformidade com os requisitos e adequação ao uso,observados critérios como custos,controles internos e prazos,dentre outros.

Definir QUALIDADE,portanto,é tarefa árdua,pois conjugam-se numa mesma noção elementos objetivos e subjetivos. No entanto se conceituar a QUALIDADE é difícil,vivenciá-la é extremamente simples:sempre que o ser humano sente que satisfez plenamente seus anseios,aí houve QUALIDADE!

Históricamente,a partir da segunda metade dos anos 80,até a primeira metade dos anos 90,passou-se a usar a expressão QUALIDADE TOTAL. Essa denominação originou-se no Japão,sendo adotada para deixar bem claro que,numa organização,todos devem se preocupar com tudo,ou seja,pressupõe-se envolvimento irrestrito e recusa de qualquer nivel de defeito.

Em pouco tempo o modismo da QUALIDADE TOTAL passou a ser a chave do sucesso das organizações.

Todavia esse modismo veio acompanhado de um modelo administrativo muito distante da cultura ocidental,latina,brasileira...

QUALIDADE TOTAL era a busca orquestrada da perfeição.O problema era que a orquestra era japonesa.

Hoje,com o aprendizado gerado pelos erros,os "Programas de QUALIDADE TOTAL" são denominados apenas como "Programas de QUALIDADE".

Os Programs de QUALIDADE permanecem associados a ações internas e ao aumento da produtividade e eficiência.Cada vez mais,porém,direcionam o seu foco para o lado humano das organizações.Nesse sentido,só devem ser deflagrados com o claro comprometimento dos gestores,complementado pelo engajamento do pessoal da casa(alinhamento com a cultura da casa).

Diz-se que  a mudança é uma porta que se abre por fora,ao passo que a transformação é a mesma porta,quando aberta por dentro.

Dessa forma,Programas de QUALIDADE são acima de tudo,programas de transformações,e não de mudanças e portanto devem ser conduzidos sob uma gestão não-traumática.

Um processo de transformação leva em conta as características da cultura da organização e tem um horizonte de médio(5 anos) a longo prazo(10 anos) para ser implantado.No fundo,tais prazos são apenas referenciais,pois o processo de melhoria é contínuo e inesgotável.

Finalmente,Programas de QUALIDADE buscam desenvolver um ambiente no qual as pessoas possam crescer e se desenvolver,expandindo sua capacidade criativa.Esse objetivo concretiza-se na medida em que as necessidades pessoais,de ampliar e transformar em realidade seus potenciais,possam ser atingidas,significativamente,no seu espaço de trabalho,assegurando,dessa forma, a própria sobrevivência da instituição.

L.P.DIOGO
TCE-RJ,COORDENADOR DE AUDITORIA DE QUALIDADE.

caq@tce.rj.gov.br