EQUIPES VIRTUAIS

O que é uma equipe virtual? O que a diferencia das outras equipes? Que competências são essenciais para atuarmos numa equipe virtual? Que conceitos e hábitos foram radicalmente transformados? O que permanece como nas outras equipes?
Virtual, etimologicamente, é " o que existe como faculdade porém sem exercício ou efeito atual". Virtual é quase real.
Entendemos como Empresa Virtual aquela que não precisa estar em lugar nenhum mas está em todos os lugares. As equipes virtuais transmitem e recebem informações entre locais distantes através do uso intensivo da Tecnologia da Informação.
O trabalho virtual muda profundamente hábitos arraigados de trabalho em equipe.
Uma equipe é definida como um grupo de pessoas que tem um objetivo comum. Para ter sucesso a equipe precisa ter coesão, dinamismo, comunicar-se bem e boa liderança.
O que trazem de novo as equipes virtuais?
A grande novidade das equipes virtuais é a mudança radical nos conceitos de espaço e tempo. Onde é minha mesa? Qual é minha sala? Onde estão meus colegas? Sento perto de quem? Qual é a cadeira do chefe? Quando vamos nos reunir? Quando precisamos dar a resposta? Quanto tempo temos para decidir? Quem fala primeiro? Todas essas inquietações vão por água abaixo nas equipes virtuais.
As equipes virtuais vivenciam a experiência de não estar fisicamente juntos no local de trabalho enquanto as tarefas são realizadas. Pode ser que as pessoas nunca cheguem a se conhecer pessoalmente.
Seja um trabalho rotineiro ou que exija criatividade, os esforços individuais aparecem espalhados geograficamente e nem sempre trazendo clareza do tamanho da equipe.
A velocidade de respostas surge como exigência de competências essenciais para o trabalho virtual. O gerundio. Tempo verbal muito usado para desculpas ("Estamos providenciando") agora precisa ser usado em tempo real.
Quando falamos em equipes virtuais podemos estar nos referindo ao relacionamento empresa-cliente, empresa-regionais, empresa-fornecedores/prestadores de serviço ou empresa-funcionários.
O trabalho virtual muitas vezes resgata um sonho antigo de trabalhar em casa, perseguido por alguns e rejeitado por outros.
No meu entender as equipes virtuais resgatam um hábito antigo das conversas, do diálogo fluido nem sempre eficaz nas famosas reuniões de trabalho e no cotidiano das paredes das organizações.
Compartilhar idéias ganha força real no mundo virtual.
No trabalho virtual a hierarquia perde força aparecendo em seu lugar a organização informal e seu impacto no cotidiano. O poder informal sempre teve influencia forte no desempenho das organizações e era mal utilizada. Nas equipes virtuais esse poder emerge das mais diferentes formas seja pelo senso de humor, pela espontaneidade, pela resposta imediata ou pela empatia na solução conjunta dos problemas.
A comunicação informal não escoa para as fofocas e nem se perde nos tijolos da empresa mas torna-se canalizada para o foco nos resultados.
Não há tempo para simpatias ou antipatias!
Parece que o mito dos Três Mosqueteiros :Um por todos ,todos por um, torna-se uma realidade, no mundo virtual , sem fronteiras e sem capa e espada...

Lúcia Guimarães Monteiro é consultora em RH, Diretora da VISÃO CONSULTORIA, MBA em Gestão Estratégica e Especialista em Psicologia do Trabalho pela FGV-RJ.

luciagmonteiro@oi.com.br