Empregos Guia RH

Do "Falar em Público" para "Apresentações Vendedoras"

EUNICE MENDES
CONSULTORA DO INSTITUTO MVC

Há um fato que é incontestável: a comunicação eficaz é símbolo de poder e autoridade. Cada vez mais em nosso mundo globalizado, a busca da excelência nas comunicações é um desafio para quem pretende atingir um alto nível de profissionalismo.

Em um mundo competitivo, onde um bom marketing pessoal pode ser a senha para o sucesso, há necessidade da competência técnica, aliada à competência comportamental e emocional, que incluem relações interpessoais mais enriquecedoras. E afinal de contas:

Quem de nós não quer ser ouvido com interesse e respeito?

Quem de nós não quer ser aceito?

Quem de nós não quer persuadir o interlocutor com idéias claras, coerentes e objetivas?

Quem de nós não quer participar do meio em que vive e influenciar nas decisões do grupo?

Quem de nós não quer transmitir segurança e fluência durante a explanação de um assunto?

Quem de nós não quer receber feedback positivo quanto às atuações como comunicadores e facilitadores da aprendizagem?

Comunicação e Libertação

Quanto ao aspecto individual, comunicar-se bem é uma forma de libertação. Quando falamos, temos a oportunidade de arrancar as máscaras e deixarmos transparecer quem realmente somos, liberando outras formas de expressão que permaneciam em estado latente. Esse processo ajuda a dar vazão ao lado criativo, deixando emergir um eu mais autêntico e profundo.

Nós nos comunicamos para sermos reconhecidos e aceitos, para sabermos quem somos, por meio do espelho que o outro nos mostra. Somos eternos investigadores de nós mesmos, mas quem nos possibilita a revelação instigadora de quem aparentamos ser, no meio em que atuamos, é o outro. É ele que nos apresenta pistas, que desvendam a parte de nós que, muitas vezes é cega e surda. Ter a sabedoria para mergulhar com coragem nessa autodescoberta é tarefa complexa. A comunicação é a ponte que propicia o desnudamento desse território tão íntimo.

Nós somos do tamanho da comunicação que conseguimos estabelecer no meio em que atuamos. Ter a coragem para se comunicar é estar disponível ao contato social. Se quisermos, cada ato comunicativo pode nos fazer despertar do sono, do limbo, da inércia, incitando-nos às ações mais produtivas.

O processo comunicativo é uma necessidade essencial à natureza humana. Gestos, atos e palavras povoam permanentemente a existência. Por meio da comunicação imprimimos nossa marca, nossa raiz, nosso chão e deixamos patente o nosso lugar no mundo. Ela projeta a personalidade e o caráter de cada um de nós e está presente, todo o tempo, mesmo através do silêncio ! Respiramos comunicação ! Essa lei é imutável. Ignorá-la é selar um pacto com a inanição afetiva, mental e intelectual.

Ela é o nosso instrumento de exploração do mundo e também é, ao mesmo tempo, o instrumento com o qual o mundo nos explora. É através desse jogo que formamos, gradualmente, as opiniões, conceitos e juízos que nortearão nossas vidas, sem os quais seria impossível a convivência.

Fincamos nossa estrutura pessoal por meio das comunicações que praticamos. Se os meus pensamentos tem qualidade e consigo transmiti-los com inteligência, empatia e sensibilidade, isso pode me assegurar maior excelência nas relações interpessoais, gerando maior sucesso nas ações cotidianas.

Quando nos comunicamos bem, realizamos uma viagem em direção à essência secreta do coração e da mente do outro, e nos tornamos companheiros/ cúmplices nessa travessia ! Para isso, não basta falar bem, utilizando corretamente as regras gramaticais. Há necessidade de muito mais ! É preciso mobilizar nossos recursos internos e externos para facilitar a arte do diálogo, que não é um simples despejar de palavras, é ir ao encontro, é abster-se de julgamentos precipitados, dando chances para a troca democrática de idéias, propiciando um clima de confiança e bem estar, utilizando a empatia na busca do processo de sinergia.

Além disso, é necessário buscar feedback quanto a nossa atuação. Só conseguimos construir relações verdadeiras a partir do momento em que enxergamos com maior propriedade quem somos nós e qual o impacto que causamos nos vários grupos sociais. Ter consciência dessa imagem social faz parte da ação corajosa de quem busca uma comunicação plena.

O Ser Humano é produto da comunicação que viveu.

Reflexões

Se temos consciência que contamos a nossa história por meio de cada ato comunicativo, se temos consciência da importância dessas inter-relações, tornando comuns os pensamentos, as sensações e os desejos, cabe-nos as seguintes reflexões:

Até que ponto estou comprometido com a busca de uma comunicação livre, sem distorções e obstáculos ?

Até que ponto estou ampliando minhas potencialidades verbais e não-verbais?

Até que ponto tenho me permitido ser quem eu realmente quero ser?

Até que ponto há coerência entre o que digo, penso e faço?

Até que ponto minha imagem externa condiz com o que percebo a meu respeito?

Até que ponto valorizo o meu "estar" no mundo?

Até que ponto deixo que os medos e inseguranças sejam mais fortes que a minha coragem para administrá-los?

Até que ponto saboto com pequenas armadilhas as minhas chances de sucesso?

Até que ponto meu magnetismo pessoal está sendo lapidado, com inteligência e determinação, com o objetivo de me tornar melhor ?

Dar-nos o direito à expressão é conquistar a liberdade de ser, é tomar posse de novos territórios, é afirmar-se perante a vida, é transformar-se no encontro com o "outro". É preciso aprender a buscar a própria palavra, como quem busca a própria identidade.

Compreender a dimensão do processo comunicativo é um caminho para compreender a própria vida.

O mundo ecoa de acordo com as comunicações que estabelecemos com os nossos semelhantes. Somos o meio e o produto dessas relações.

Investigar a forma como revestimos e expressamos os pensamentos nos possibilita a análise das várias facetas de nossa personalidade, o que nos mostrará como atuamos nos vários grupos sociais. Esse é um mapa necessário, que fornece oxigênio para um mergulho interior e para uma aprendizagem desafiadora, tão necessária para nos tornarmos melhores como seres humanos!

cha

PAPÉIS

CONHECIMENTOS

(SABER)

HABILIDADES

(SABER FAZER)

ATITUDES

(QUERER FAZER)

APRESENTADOR/

PLANEJADOR

 

 

 

  • técnicas de planejamento
  • conhecimento da realidade
  • perfil do público-alvo
  • conteúdo a ser exposto
  • utilização de recursos audio-visuais
  • técnicas de apresentação
  • aplicação dos conhecimentos
  • automotivação
  • organização
  • criatividade
  • sensatez
  • auto-análise
  • querer planejar

APRESENTADOR/

COMUNICADOR

  • técnicas de comunicação verbal e não-verbal
  • definição dos tipos característicos de participantes
  • técnicas de controle da emoção
  • liderança
  • identificação dos tipos de participantes
  • auto-análise
  • empatia
  • sinergia
  • querer se comunicar

APRESENTADOR/

AVALIADOR

  • técnicas de avaliação:
  • reação.
  • resultados.
  • Percepção das reações do grupo
  • Querer avaliar

www.institutomvc.com.br