GERENTE DE OPORTUNIDADES: PERFIL E BLOQUEIOS

 

L A COSTACURTA JUNQUEIRA

VICE-PRESIDENTE DO INSTITUTO MVC M. VIANNA

COSTACURTA ESTRATÉGIA E HUMANISMO

 LEIF EDVINSSON, autor sueco e um dos maiores especialistas mundiais em desenvolvimento do capital intelectual nas organizações, divide os gerentes em dois tipos: os questionadores de regras e os mantenedores de regras. Cada gerente pode ou não desempenhar os dois papéis, dependendo de sua idade, características pessoais etc.

 

LEIF menciona também que a preocupação em manter as regras ocorre normalmente entre os 35 e os 45 anos; questionar as regras é algo que acontece até os 35 anos e após os 45. Embora essa colocação não deva ser tomada como verdade absoluta, pode representar uma pista para identificação inicial dos Gerentes de Oportunidades.

É interessante observar que num mundo de constantes mudanças e, portanto, de busca de novas oportunidades, as empresas e os headhunters, continuam centrando seu processo de identificação de talentos na faixa dos 35 a 45 anos. Esta é uma estratégia de reforço do status quo, e anti-mudança que, certamente, não facilita uma postura organizacional voltada para a oportunidade como um fator crítico.

Após esta introdução, de natureza mais estratégica, vamos agora falar um pouco sobre o perfil e os bloqueios que podem ajudar na atuação de um Gerente de Oportunidades.

CARACTERÍSTICAS GERENCIAIS

Quais seriam então as características de um gerente de oportunidades? Para que o leitor possa se auto-analisar, seguem algumas delas:

 

VENCENDO OS BLOQUEIOS

Alguns bloqueios pessoais e organizacionais podem dificultar o exercício das características anteriores, entre os quais destacamos:

 CONCLUSÃO

No momento em que os fatores de produção estão se transformando em commodities, o grande diferencial passa a ser o capital intelectual, especialmente em sua dimensão "busca de novas oportunidades" . 

A rapidez do processo de mudança desaconselha qualquer estilo gerencial voltado para a "manutenção". 

Os gerentes mais lembrados/valorizados são aqueles que estão sempre questionando os êxitos, transformando os fracassos em lições para novas ações, antenados nas relações com a clientela interna, externa, fornecedores e comunidade. 

DICAS

  

CURRÍCULO

 LUIZ AUGUSTO COSTACURTA JUNQUEIRA - Vice-Presidente do MVC - Instituto M. Vianna Costacurta Estratégia e Humanismo. Administrador pela Fundação Getúlio Vargas. Coordenador, no MVC, de projetos de Educação Permanente e Consultoria na área de Estratégia em Desenvolvimento Gerencial. Seminários e Palestras nos EUA, Portugal, Uruguai, Aruba e Paraguai. Autor dos livros Sr. Presidente: A Culpa é Sua: Desenvolvendo Talentos Humanos (3 edição), Negociação: Tecnologia e Comportamento (25 edição), Tempo do Executivo: Problemas e Soluções (8 edição), Administração do Tempo: Um Programa de Autodesenvolvimento (7 edição). Co-autor, com Eunice Mendes, do livro Falar em Público: Prazer ou Ameaça? - (2 edição). Em parceria com Marco Aurélio Vianna lançou o Livro Gerente Total: Administrando com Eficácia a Empresa do Século XXI, já em 3 Edição. Citado no Who is Who the World 95/96 (Base São Paulo).